BLOG DA ACADEMIA

Remoção seletiva de tecido cariado ou remoção total do tecido cariado: O que diz a literatura

carla pereira
Por Carla Pereira

           Antes de mais nada, adiantamos a você que não há resposta clara e objetiva sobre este assunto. Isso mesmo, da mesma forma que há um interesse por parte dos clínicos em responder a pergunta “Qual melhor tratamento para lesões profundas: remoção seletiva do tecido cariado ou remoção total do tecido cariado?”, os pesquisadores também buscam respostas pra essa pergunta. Por causa disso, mais e mais artigos são publicados na tentativa de obter uma única resposta (ou até mesmo uma resposta mais certeira).

            O artigo comentado deste post é o “Caries removal strategies for deep carious lesions in primary teeth: Systematic review” publicado na edição de Julho/2020 na Inter J Paediatr Dent.2020. Ao responder a pergunta “Por que este artigo é importante para os odontopediatras”, os autores citaram 3 principais pontos relevantes:

  • Há pouco artigo classificado como “ensaio clínico randomizado” que compara a eficácia de uma única técnica para remoção do tecido cariado em lesões profundas em dentes decíduos vitais e que os estudos são de pouco acompanhamento.
  • O clínico informar aos pacientes o baixo nível de provas que suportem a técnica de remoção do tecido cariado.
  • Remoção seletiva do tecido cariado e Remoção seletiva em duas etapas do tecido cariado podem resultar em menor frequência de exposição pulpar comparadas à remoção total do tecido cariado.

          O artigo é uma revisão sistemática da literatura, onde foram encontrados 1374 artigos, sendo que desses, apenas 8 foram incluídos no estudo. Para melhor entender as conclusões do artigo, vamos relembrar alguns conceitos citados contextualizando o assunto e os termos.

E caso queiras lembrar sobre a progressão cariosa, causas e efeitos, acesse já o nosso curso de Doença Cárie: Progressão e Prevenção

           Tipos de remoção do tecido cariado em lesões profundas:

  1. Completa remoção (CCR – Complete caries removal): “É a remoção de toda dentina cariada em toda a cavidade”, em português também conhecida como “remoção total do tecido cariado”.
  2. Remoção seletiva (SCR – Selective caries removal):  “É a remoção total da dentina cariada das paredes circundantes seguida de remoção parcial da dentina amolecida da parede pulpar”, ou seja, remoção seletiva do tecido cariado.
  3. Remoção seletiva do tecido cariado em duas etapas (SWR – Stepwise removal): “É a remoção do tecido cariado em duas etapas com um intervalo entre elas para estimular a deposição de dentina antes da última escavação. O primeiro passo á a remoção parcial da dentina cariada, e o segundo passo é a remoção da dentina até atingir a dentina dura”.

           Independente do tipo de conduta, é preciso reforçar que em dentes decíduos que apresentam lesões profundas em dentina e diagnosticados como vitais, o objetivo do preparo cavitário, ou seja, o objetivo da sua escolha não pode fugir de quatro pontos principais (e se você segui-los, independente da sua escolha, com certeza terá grandes chances de sucesso):

  1. Preservação do tecido sadio e mineralizado;
  2. Garantir o selamento da restauração;
  3. Manutenção da saúde pulpar;
  4. Maximizar o sucesso da restauração

           Acesse o artigo mais lido em nosso blog sobre “pólipo pulpar” que poderá te guiar um pouco mais sobre diagnostico da polpa em dente decíduo clicando aqui.

           O artigo ainda cita que para as estratégias é difícil a comparação do tratamento entre dente decíduo e dente permanente, já que há diferença morfológica e histológica entre os dois. O dente decíduo possui uma camada de dentina mais final, o que consequentemente tem um volume da câmara pulpar maior que o dente permanente, e além disso, o corno pulpar do dente decíduo (principalmente o mesiobucal) é mais proeminente. Além disso, a dentina do dente decíduo tem “poros” devido a quantidade de túbulos dentinários grandes, significando que tem baixa densidade e consequentemente menos mineral.

           Enfim, as conclusões dos autores foram:

  1. Há menor chance de exposição pulpar na remoção seletiva ou na remoção em duas etapas do que na remoção total;
  2. Há maior chance de falha na restauração após remoção seletiva do que na remoção total;
  3. Risco de complicações clínicas ou radiográficas foi indiferente para as técnicas;
  4. Não é possível estender as recomendações de estratégias de remoção do tecido cariado de dente permanente para dente decíduo porque somente o risco de exposição pulpar foi significativamente reduzido quando compara a remoção Seletiva ou a Stepwise à remoção total;
  5. Mais estudos clínicos randomizados com alto nível são necessários para demonstrar conclusivamente o uso da remoção seletiva do tecido cariado em dente decíduo, o que já é recomendado para dentes permanentes.

           Lembre-se sempre que a ciência evolui, a necessidade clínica traz a resolução científica e os dois caminham para o mesmo lado: atender melhor os pacientes e garantir o nosso sucesso profissional. Para ter acesso a todos os artigos da revista da IAPD, basta se tornar membro direto no site.

Esperamos que tenhas gostado da leitura, até mais!

Referência: Caries removal strategies for deep carious lesions in primary teeth: Systematic review. Int J Paediatric Dent. 2020; 30:392-404.

Por Carla Pereira.

Junte-se aos mais de 3.000 alunos inscritos e aproveite para estudar a qualquer hora e em qualquer lugar!

endodontia em dentes decíduos

RELACIONADOS NO BLOG